Preconceito

No texto abaixo, a aluna Annelise Romeiro Piovesan, do 6º ano E, faz uma importante reflexão sobre o preconceito. Leia e reflita você também sobre esta questão!

‘O preconceito não deveria existir. No Brasil é crime, mas ainda há muitas pessoas que o praticam. Devemos tratar as pessoas independentes de raça, religião, classe social, etc. A escravidão foi um resultado do preconceito, que se prolongou por uns anos até as leis que libertavam os escravos. Preconceito é algo gravíssimo e algo que nunca devemos sentir. O preconceito racial é caracterizado pela convicção da existência de indivíduos com características hereditárias, determinados traços de caráter e inteligência.

DIGA NÃO AO PRECONCEITO’

A origem dos ovos de Páscoa

A Páscoa está chegando… que tal ler a pesquisa que a aluna Giovanna Chiara Angeli, do 6º ano E, fez a respeito da origem dos ovos e do coelho da Páscoa?

‘Os ovos de chocolate ou ovos de Páscoa são uma tradição milenar relacionada ao Cristianismo. Costumava-se pintar um ovo oco de galinha de cores bem alegres, pois a Páscoa é uma data festiva que comemora a ressurreição de Jesus Cristo, sendo o ovo um símbolo de nascimento. Mas os ovos não eram para ser comidos. Eram apenas um presente que simbolizava o início da vida. A tradição de homenagear essa estação do ano continuou durante a Idade Média entre os povos pagãos da Europa.

E o coelho? Por que é o símbolo da páscoa?

Nesse período, muitos desses povos realizavam rituais de adoração para Ostera, a deusa da Primavera. Em suas representações mais comuns, observamos esta deusa pagã representada na figura de uma mulher que observava um coelho saltitante enquanto segurava um ovo nas mãos.’

 

Fontes:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Ovo_de_P%C3%A1scoa
http://www.brasilescola.com/pascoa/a-origem-ovo-pascoa.htm

A Torá

Através do texto da aluna Beatriz Kopel, do 6º ano B, podemos conhecer um pouco do livro sagrado dos judeus: a Torá. Boa leitura a todos!

‘A Torá é o documento mais importante para a religião judaica e também muito importante para os arqueólogos e historiadores. Ela é dividida em duas partes: a primeira que é Mikra (também conhecida como Torá escrita) e a Torá Sheb’alpeh (também conhecida como Torá Oral).

Na Torá há 613 mandamentos, ou mitzvot. O primeiro mandamento fala: ‘Frutificai, e multiplicava-os, e enchei a Terra’, ele diz que é dever do homem casar-se e gerar filhos. A Torá e os livros judaicos trazem para nós a teoria de que nenhuma ideia é errada. Em Pessach, por exemplo, temos na Hagadá (um dos livros secundários dos judeus), que nós devemos tomar quatro copos e meio de vinho mas, quando a Hagadá foi feita, houve uma discussão entre os rabinos se deveriam ser quatro  copos ou cinco, então eles se decidiram por sete copos e meio para não ter nem vencedor nem perdedor e é isso que o judaísmo demonstra, igualdade e justiça.’