Ruanda, vinte anos depois.

Ruanda IIO Jornal da USP, na edição de 05 de fevereiro, relembra o massacre ocorrido em Ruanda, a partir do lançamento do livro, O País das Mil Colinas. “Em 2014 completam-se duas décadas dos assassinatos em massa cometidos em Ruanda – um genocídio que não precisou de mais do que três meses para deixar 1 milhão de mortos. O livro O País das Mil Colinas, da jornalista Andréia Terzariol Couto, retrata o extermínio a partir de pesquisa bibliográfica e dos relatos de sobreviventes.
Pesquisadora do Grupo de Pesquisa em Jornalismo Popular e Alternativo (Alterjor) da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP, Andréia conta que fez duas viagens ao país e mais de 40 entrevistas para escrever o livro. “Sempre me interessei pelo tema e, em 2002, comecei minha pesquisa na Biblioteca de Estudos da Linguagem da Unicamp. Dois anos depois, já tinha esgotado todo o material disponível. Comecei, então, a tentar contatos em Ruanda”, diz.
O livro é uma colcha de retalhos que resgata fatos da história, junto a relatos do que a autora ouviu sobre o massacre e à sua percepção de como está a vida no país depois da tragédia. “O genocídio tem raízes no século 19, na época da colonização, e por isso é importante retratar o que acontecia antes da chegada do colonizador”, disse.”

Para saber mais, acesse

http://espaber.uspnet.usp.br/jorusp/?p=33811

Roberto Nasser