Futebol Terror.

Normalmente posts sobre futebol não são aceitos neste Blog, já que existem inúmeros blogs deste negócio na rede. Além disso, o futebol é um “esporte” que abre espaço para o exercício de inúmeros preconceitos, como o racismo, o preconceito contra pobres ou nordestinos ou  contra os homosexuais. Os torcedores de um determinado time da capital, por exemplo, sabem bem como muita gente usa o futebol para exercer estes preconceitos sob rótulo de “brincadeira”. Por estas e por outras, evita-se  o futebol por aqui.  Porém, é preciso abrir uma exceção.

O Vinicius (3B1), torcedor do Santos, escreveu uma reflexão simples sobre o futebol que eu acho que não custa pensar sobre.

“Não há duvidas de que o futebol seja de suma importância para o povo brasileiro. Dentre os aspectos positivos trazidos pelo futebol, vale destacar dois. O primeiro é a união e a identidade das pessoas de um mesmo país em torno de um único alvo – a seleção nacional – criando um nacionalismo fortemente demonstrado em períodos de jogos da seleção. O segundo é o fato de o futebol possibilitar uma fuga das dificuldades de nosso dia a dia e proporcionar esperanças e alegrias.

Contudo, existem também os aspectos negativos, graças a disparidades em seus conceitos, os quais são muito preocupantes. Como primeiro, pode-se apontar o forte estimulo ao desprezo à educação. Os jogadores, na maioria das vezes, são de origem humilde e têm baixo nível de escolaridade e, por isso, mal sabem se expressar e opinar de maneira crítica. Como eles são vistos como ídolos, há uma séria inversão de valores na sociedade, porque se valoriza a habilidade de jogar em detrimento da educação. O segundo fator negativo é a desunião e consequente discriminação entre pessoas de diferentes torcidas, levando a uma situação que poderia ser comparada ao chauvinismo presente nas disputas políticas que envolveram a Alemanha na primeira metade do século XX. Os alemães desenvolveram um ódio tão grande com relação a seus “inimigos” (judeus, ciganos; enfim, SERES HUMANOS assim como eles) que, no final, causaram uma guerra e o maior etnocídio que a humanidade já presenciou.

Não se pode declarar que o futebol deve ser abolido para o bem do Brasil, já que ele traz diversos fatores positivos. Todavia, temos que tomar cuidado com a gama de sentimentos e emoções envolvidos, pois, caso contrário, em breve existirão aqueles que, por exemplo, defenderão corintianos em campos de concentração, ou algo parecido. Até que ponto o fanatismo pelo futebol vale a pena?”